Total de visualizações de página

2 de out de 2009



O LAR


Tudo começou no canil, onde ele era um único gato, ficava lá numa gaiola sozinho, ele era um filhote levado e se chamava Lion. Assim era...



A VIDA NO CANIL.

Ele temia em ficar sozinho naquele lugar, nunca ficava perto da grade, pois ninguém gostava dele, já que todo o resto ali eram cachorros. Ele olhava triste através das grades de sua “solitária” antiga todos os seus amigos gatos com seus donos, e assim resolveu bolar...




O PLANO.




Ele ficou oras a pensar como sairia de lá e finalmente teve a grande idéia: chamar com seu miado todos seus amigos gatos para libertá-lo daquela prisão no meio da noite, onde todos estariam dormindo.


Aproveitou que o carcereiro estava dormindo e miou tão alto que conseguiu chamar seus amigos que logo entenderam o pedido de socorro e entraram pela janela libertando-o. Daí começou a grande...







JORNADA.









Logo foram todos correndo pela cidade , quando uma pessoa os viu e quis ficar com um deles, todos pararam enquanto a pessoa pensou bastante como quem estivesse decidindo o que faria, e logo resolveu que não ficaria com nenhum deles, pois gostava mesmo era de cachorro. A gatalhada lamentou por não serem adotados, mas quem mais sofreu com isto foi nosso amigo Lion.

Sem mais nem menos seus amigos saíram correndo e quando ele olhou para o lado percebeu que o carcereiro se aproximava com uma rede de pesca sorrindo maldosamente. Ele saiu desesperadamente atrás de seus amigos, quando caiu de uma ponte de 14m, mas como diz o ditado, caíram de pé dentro do rio bem raso, nadaram até a beira se balançaram para tirar o excesso de água no corpo e perceberam que estava as margens de uma floresta.

Andaram assustados, pois a floresta estava escura, mas no meio do caminho perceberam uma igreja, foi quando um deles falou: - devemos estar perto de uma cidade!. Mais adiante viram uma casa escura e muito velha, sem perceber já estavam na cidade onde finalmente encontraram um dono.

Fim.



Vítor Mesquita

Revisão Textual: Valéria Duarte

01/10/09





Nenhum comentário: