Total de visualizações de página

14 de ago de 2011

álcool e direção não conbinam




A idéia que se faz do álcool como produto estimulante é falsa, não passa de mito. Na verdade, a sensação estimulante provocada pelo álcool nada mais é do que a diminuição da timidez. De fato, a substância é depressiva e a sua ação pode induzir ao sono.

A ação depressiva do álcool no cérebro e no sistema nervoso central reduz a capacidade mental e física e compromete a realização de tarefas mais complexas como, por exemplo, conduzir um veículo.

É comum ouvir dizer que a ingestão do álcool em doses determinadas não altera os efeitos psicológicos. Esta afirmação também é falsa, pois às vezes o indivíduo ingere uma pequena quantidade do produto e sofre efeito idêntico ao provocado por um grande volume de bebida.

O álcool afeta vários órgãos do corpo humano, sendo que o mais importante, sob o ponto de vista da segurança, é o cérebro, pois nesse é que são processadas as informações necessárias para a direção do veículo. Basta um pouco da substância no sangue para retardar os reflexos, diminuir a percepção e minimizar a consciência do perigo.

Parte do álcool ingerido é absorvida pela mucosa da boca. A grande maioria, porém, entra pelo estômago e pelo intestino delgado, e daí vai para a circulação sanguínea. Aproximadamente 90% do álcool são absorvidos em uma hora, mas a sua eliminação demora de seis a oito horas.

Pelo atual Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o motorista só é considerado alcoolizado se estiver com uma taxa a partir de 0,6 grama de álcool por litro de sangue. A legislação prevê que infratores que dirigem sob influência do álcool e expõem outras pessoas a riscos ou provocam acidentes de trânsito, estão cometendo crime. A pena, neste caso, varia de seis meses a três anos de prisão.

Portanto, antes de dirigir, não beba. Se isso for absolutamente inevitável, dê o volante a uma pessoa habilitada e que não tenha bebido, ligue para um parente, um amigo, ou, então, pegue um táxi.
Nunca se esqueça da regra: "Se bebeu, não dirija. Se vai dirigir, não beba". Esta não á apenas uma frase de efeito, bem construída. É um alerta que pode salvar muitas vidas.

Outra questão importante que temos que lembrar são certos mitos que existem sobre a embriaguez. Café forte, por exemplo, apesar de estimulante, em nada altera o de embriaguez. Um banho frio passa a sensação de despertar, pela baixa temperatura da água, mas só no momento, pois os efeitos do álcool permanecem intactos.

Finalmente, os remédios. Pelo que se sabe, até hoje, a ciência não conseguiu produzir qualquer droga que elimine os efeitos do álcool. Pelo contrário, bebidas e remédios costumam ser uma mistura perigosa, e podem até matar.



fonte:clique aqui

Nenhum comentário: